Como escrever uma recomendação profissional no LinkedIn

Como escrever uma recomendação profissional no LinkedIn (1)

Ao contrário das cartas de referências tradicionais, que são majoritariamente compartilhadas com empregadores em momentos específicos de um processo seletivo, as recomendações do Linkedin são públicas e estarão disponíveis para toda rede profissional digital do recomendado. Portanto, a forma como as recomendações são escritas no Linkedin podem afetar seriamente a reputação profissional do recomendado, tanto para melhor quanto para pior.

Supondo que seu objetivo é ajudar a pessoa que você está recomendando, escrever uma recomendação forte do LinkedIn pode aumentar as credenciais do candidato aos olhos de recrutadores, empregadores e toda a esfera de oportunidades que possam surgir oriundas da exposição de uma rede social tão forte quanto o Linkedin.

Leia também: Como construir uma reputação profissional positiva

Com isso em mente, considere os seguintes pontos ao escrever uma recomendação eficaz e poderosa do LinkedIn para colegas e outras pessoas com quem você realmente gostou de trabalhar.

Como escrever uma recomendação no LinkedIn:

  • Curto, significativo e específico.
  • Compartilhe resultados e comportamentos.
  • Considere pedir ajuda sobre a indicação ao indicado.
  • Publique sua recomendação no LinkedIn.

[CURTO, SIGNIFICATIVO E ESPECÍFICO] Algumas recomendações são bem-intencionadas, no entanto, tem pouco ou nenhum crédito. Isso normalmente acontece porque a recomendação é pouco específica ou não trás um significado que gere valor algum ao leitor.

Por exemplo, recomendações que destacam qualidades ou características abaixo do esperado, como: “José sempre chegava na hora” ou “Maria era uma funcionária confiável”, deixam os leitores insatisfeitos e no bem da verdade, são afirmações que não agregam nada, nem para o referenciado nem para um possível empregador ou selecionador.

Como há um limite de 3.000 caracteres nas recomendações do LinkedIn, é importante fazer valer à pena palavra. Não desperdice seu tempo compartilhando os fatos básicos. Ao invés disso, pense em pontos fortes específicos que realmente fizeram com que o referenciado tenha se destacado, como por exemplo: “Carlos é um comunicador excelente, com habilidade para atingir diversos públicos diferentes e isso era muito benéfico para a nossa área.” ou “ Cláudia atendeu consistentemente todas as metas da nossa área e isso resultou numa redução de 12% do nosso orçamento comparado com o ano anterior e uma aumento de 5% no faturamento.”

[COMPARTILHE RESULTADOS E COMPORTAMENTOS] Quando um selecionador ou entrevistador está buscando contratar alguém, e está revisando os perfis de vários candidatos on-line, eles desejam ter uma noção clara de como cada candidato seria ao ser contratado. Como eu já disse antes, um processo de recrutamento e seleção nada mais é do que uma aposta calculada sobre a capacidade técnica e comportamental de uma pessoa. Não há garantias de sucesso imediatas. Por isso, quanto mais claro for o perfil do candidato, seja no âmbito profissional e pessoal, melhor.

Ao fazer recomendações a um colega de trabalho, concentra-se nas habilidades técnicas, comportamento e atitude para conquistar resultados. É importante quantificar especificamente o que você e o seu colega conquistaram juntos. Por exemplo, você foi testemunha ocular quando o seu colega criou uma campanha de comunicação e marketing, que foi premiada e elogiada por críticos especializados e trouxe 3 novos negócios para empresa. Esse tipo de afirmação fornece fatos e dados que deixam o recrutador minimante seguro sobre o perfil de um candidato.

Leia também: Referências Profissionais: tudo o que você precisa saber

Pensando sempre que os resultados serão o insumo para as suas recomendações, você pode descrever brevemente quais foram os pontos que você mais gostou de ter trabalhado com essa pessoa. Aqui podem entrar adjetivos como: confiável, alegre, determinado, sociável, agregador, culto, resiliente, planejador, ordeiro, respeitoso e etc. É importante dar uma visão geral as pessoas sobre o que o seu colega entregou e como ele fez isso. Não importa o quão bom tecnicamente um profissional seja, se nos dias de hoje ele não for colaborativo, não tiver uma atitude positiva ele pode vir a perder uma série de boas oportunidades profissionais.

Com os resultados como a peça central da sua análise, você pode, então, congelar o bolo descrevendo brevemente o que você gostou de trabalhar com a pessoa. Ela era alguém em quem você podia confiar sob pressão ou em uma pitada? Ele fez disso seu mantra para ir além de cada projeto? Dê às pessoas um gostinho do tratamento que você teve ao trabalhar com seu colega de trabalho para tornar óbvio por que essa pessoa é uma ótima pessoa.

Se você gostou da atitude positiva de um colega de trabalho, enfatize esse ponto, mas sempre acompanhado de algum indicador de performance.

[CONSIDERE PEDIR AJUDA SOBRE A INDICAÇÃO AO INDICADO] Esse é um ponto contraditório. Até que ponto o recomendado deve ter interferência na recomendação?

Difícil dizer. Mas o fato é que uma prática comum ao escrever cartas tradicionais de recomendação, pedir ao recomendado que escreva um rascunho sobre aquilo que deverá ser escrito sobre ele – e como diz o mestre Richard Bolles: “Nunca vi uma carta de recomendação que não recomendasse alguém.”

Essa estratégia também funciona para as recomendações do LinkedIn, por isso, se você estiver ocupado, é licito solicitar um rascunho da recomendação para a pessoa que está recomendando. Você não tem obrigação de seguir por essa linha, mas usar essa abordagem economiza seu tempo, permitindo que seu colega indique exatamente quais pontos ele espera mencionar sobre si próprio.

Peça ao destinatário para escrever o rascunho fora da plataforma do LinkedIn, para que você possa editar o que achar necessário. Depois que você e o indicado concordarem com o texto final que você usará, você poderá postar a recomendação no LinkedIn.

[PUBLICANDO] Para publicar sua recomendação, clique no botão “mais” no perfil de uma conexão do LinkedIn de primeiro grau e selecione “recomendar”. Preencha os campos “relacionamento” e “posição” e clique em “próximo”.

Digite sua recomendação e clique em “enviar”.

Lembre-se de que o Linkedin é uma plataforma de mídia social específica, cada membro pode optar por exibir ou não uma recomendação do LinkedIn. Portanto, se você escrever uma recomendação que não seja do agrado do recomendado e ele a ocultar, você desperdiçou seu tempo.

É importante entender que se você não acha que pode dar uma recomendação suficientemente completa a alguém, é melhor recusar o convite e explicar o motivo. Por mais próximos que possamos ser de colegas de trabalho, muitas vezes não temos nenhuma visibilidade sobre os resultados produzidos por ele e essa falta de visibilidade pode ser crucial para escrever uma recomendação valiosa.

Eduardo Saigh é formado e pós-graduado em marketing pela ESPM. Atuou com sucesso na área de marketing e comunicação durante 8 anos, quando decidiu mudar de carreira e empreender na área de desenvolvimento humano. Após três anos na nova área, aceitou o desafio de fazer a restruturação da área de RH na Hays, uma das maiores consultorias de recrutamento e seleção especializadas do mundo. Atualmente é o head da Elliott Scott, multinacional especializada no recrutamento e seleção de profissionais de RH e sócio fundador da Peopleminin.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*

mautic is open source marketing automation