Como manter a produtividade no atual emprego enquanto se abre o próprio negócio

Proprio Negocio

Se você esta lendo essas palavras é porque você tem grandes chances de fazer parte dos 76% dos brasileiros que quer ter o próprio negócio ou se preferir 3 em cada 4 pessoas. Esse número cai um pouco entre os jovens, sendo que 71% deles querem ser donos do próprio negócio.

Porém, apenas 19% dessas pessoas que querem abrir o próprio negócio pretendem, de fato, investir nisso nos próximo 5 anos. O resto provavelmente fará parte dos 87% das pessoas que trabalham desmotivadas ou mesmo jogam contra os próprios empregos.

Esse texto, como você poder deduzir, é para esses 19% que já decidiram ser empreendedores, mas que talvez ainda não entraram em ação.

Segundo inúmeras pesquisas, as pessoas não empreendem por 3 principais motivos:

  • Falta de recursos financeiros
  • Medo da falência
  • Falta de preparo

Essas razões, e mais algumas não citadas, realmente oferecem riscos ao sucesso “empreendedoristico” que se possa ter. Por mais otimista que se possa ser, isso é uma verdade.

A grande questão é: eu quero ter o meu próprio negócio, mas eu tenho medo.

“Sim, eu tenho medo de falhar.”

“Sim, eu tenho medo de falir.”

“Sim, eu tenho medo de não dar certo e eu ter que voltar ao meu antigo emprego, envergonhado e derrotado. Ou pior, eu posso nem ter um emprego para voltar!”

Se tudo isso fez e faz sentido para você, eu te ofereço uma alternativa:

Invista no seu sonho de ter o próprio negócio e continue trabalhando no seu atual emprego.

As vantagens de se fazer isso são várias, mas eu cito três que considero as mais importantes.

Veja mais: 7 habilidades que vão garantir o futuro da sua carreira profissional (pelo menos para os próximos dois anos!)

Segurança

Se tudo der errado, você ainda tem a segurança do seu emprego. Provavelmente as contas estarão pagas e o sustento básico garantido. A segurança ainda pode te garantir uma mentalidade despreocupada, que pode significar leveza na condução do negócio e isso é positivo de certa forma, pois, livra a sua mente da responsabilidade de trazer o sustento básico para o lar.

Recursos

Você certamente precisará de grana em algum momento para abrir o seu negócio e antes de vender o carro e a moto, pedir dinheiro para os pais ou tia ou mesmo um empréstimo no banco, você pode financiar o seu sonho com o salário que você ganha no seu emprego atual. Além de garantir a continuação do sonho, que agora deixou de ser sonho e existe, essa prática leva ao conhecimento prático dos custos financeiros de se ter uma empresa. E, se nessa fase, o negócio já não fizer sentido em termos de realização e resultado, já se tem informações suficientes para se tomar uma decisão de continuidade ou não do negócio, além de uma valiosa experiência prática.

Relacionamento

Você pode oferecer os seus serviços ou produto para as pessoas que trabalham com você, direta ou indiretamente. Colegas de trabalho, fornecedores, clientes, pessoas ligadas a essas esferas, todos podem ser potencias clientes ou mesmo oferecer informações valiosíssimas sobre o que você quer oferecer.

Bem, como você sabe, nem tudo são flores.

button_quero-um-trabalho-que-tenha-a-ver-comigo

DESAFIOS PELO CAMINHO

Ter uma vida dupla – e dependendo do caso – se você for mulher ou um cara que tem família para cuidar ou situação similar – tripla é bem desgastante. Cito alguns pontos que atrapalham muito no tipo de estratégia proposta nesse texto.

FodeuJornada dupla/tripla de trabalho – “Nem vi você chegar amor.”

Trabalhar por 8 horas, mais uma hora de almoço, mais 2 horas médias de deslocamento entre ida e volta do trabalho, com um transito ligeiro, voltar para casa e se dedicar de 3 a 5 horas a um negócio paralelo, ter algum tipo de relacionamento ou cuidado com o corpo e AINDA dormir… parece impossível. Mas provavelmente, é isso que te espera, se você quiser transformar o seu sonho ou hobby em negócio e não quiser se arriscar entrando de cabeça nele.

Desgaste das relações – “Você esqueceu o aniversário de 8 anos do nosso filho.”

Muitas vezes consequência direta do item acima, o desgaste das relações ocorre quando o foco esta totalmente voltado ao trabalho atual e a construção do próprio negócio. Geralmente, o empreendedor tem a sua atenção totalmente voltada ao que ele quer construir e esquece das pessoas ao redor dele. Muitas vezes essas pessoas são a mulher, filhos, pais, amigos, pessoas que nutrem profundo carinho por ele E pessoas que podem ajudá-lo no futuro caso alguma coisa de errado ou caso ele precise de algo para avançar no que quer.

Além disso tudo, o convívio com pessoas queridas trás segurança psicológica que pode ser traduzida como “eu não estou sozinho nisso.”

Queda da performance no trabalho atual – “Você já foi melhor.”

Você escolheu levar o seu trabalho e o seu negócio em paralelo e esta tendo sucesso ou esta 100% comprometido com o seu negócio. E isso esta afetando a sua performance no seu atual emprego, que muitas vezes é o que realmente paga as suas conta e muitas vezes as contas do seu futuro negócio.

Você começou a ter duas janelas de e-mails abertas, uma com a conta do seu trabalho, onde na assinatura esta como “Analista Comercial” e na outra janela, do seu negócio, está “CEO”.

Você faz o trabalho do seu negócio no seu trabalho e esta entregando as suas tarefas com atraso. Você sai para almoçar e volta 2 horas depois, porque estava almoçando com um possível cliente ou conversando com um fornecedor importante ou vendo as instalações onde o seu negócio vai funcionar. A sua criatividade, pontualidade e capacidade de resolução de problemas não existe mais. Você é praticamente o estereótipo típico de um funcionário público ou um zumbi, o que dá no mesmo, está presente no seu emprego mas não participa dele.

As consequências disso são óbvias: desconfiança dos colegas e possível demissão. No caso da demissão, pode até ser positivo ser mando embora, porque o dinheiro da rescisão e blá, blá, blá, podem gerar um capital extra para o seu negócio.

Se der tudo errado, as suas chances de voltar ao antigo emprego são mínimas, além disso, você ganhou a alcunha de incompetente ou mesmo de não confiável.

O seu negócio não decola – “Nossa, não sabia que você tinha uma floricultura.”

Você quis ter o seu próprio negócio, decidiu por isso e tomou a atitude necessária para tal. Mas você não foca nele. E ao invés de ser um negócio propriamente dito, que dê lucro (ou pelo menos a visibilidade dele), satisfação ou realização ele se parece mais com um hobby despreocupado que não vai para frente nunca. Você adora dizer que é empresário, mas não passa de um curioso sobre o assunto e muitas vezes é alvo de chacotas ou mesmo tem a pecha de incompetente. Afinal, você não faz o SEU negócio dar certo como você vai fazer o seu trabalho dar?

Veja mais: O que é intraempreendedorismo e qual é a importância para a sua carreira?

ESTRATÉGIAS

“Ou você tem uma estratégia ou é parte da estratégia de alguém.” – Alvin Toffler

TENHA UMA META NO SEU ATUAL EMPREGO

Essa meta deve ser:

  • Desafiadora
  • Específica
  • Motivadora
  • Gerenciável por você
  • Dependente 100% da sua participação
  • Gere valor para outros

“Mas eu quero ter o meu próprio negócio e mandar o meu chefe para o C%*&¨%$! Porque que deveria ter uma meta desafiadora, que gere resultado se eu quero sair do meu emprego?”, você pergunta.

verslo-pradziaTer essa meta, esse objetivo, um Ponto B desafiador no seu trabalho irá garantir que você participe dele talvez como nunca participou antes, e isso poderá significar um aumento de performance que poderá lhe dar um aumento de salário ou mesmo uma promoção. Ou ainda maior visibilidade ou mesmo acesso a esferas que você não chegaria se fosse mais do mesmo.

Além disso, num eventual desligamento, você será lembrado como uma pessoa confiável e profissional, que honrou os seus compromissos profissionais até o fim, performando e dando resultados quando a maioria põe o pé no freio e vai de bermuda no último dia de trabalho.

Não é raro as pessoas assumirem esse compromisso com os atuais empregos e serem promovidas, receberem um aumento de salário, terem destaque como melhores funcionárias do mês e se pegarem em dúvida se querem ou não abrir um negócio próprio, já que estão tendo tudo aquilo que achariam que teriam fora do emprego no negócio próprio.

Aí, eu pergunto: Por que isso agora? O seu emprego não mudou, o seu chefe continua o mesmo chato de sempre, o trânsito piorou e mesmo assim, você cogita trocar o seu sonho do negócio próprio pelo, até então, trabalho modorrento.

O que aconteceu?

Você esta participando, gerando valor e para isso não precisa ser no seu próprio negócio, aliás, muitas vezes, só trocamos de cela, a prisão continua a mesma.

Como você vai começar a fazer o seu negócio dar certo, começando do zero, se você é incapaz de prosperar no seu trabalho atual, sendo que ele tem mais maturidade que o seu sonho?

O real objetivo aqui é te preparar para assumir o seu posto no seu negócio, usando o seu emprego como treino.

TENHA UMA META NO SEU NEGÓCIO

O foco é: ter o próprio negócio.

Para isso você vai ter que fazer ele acontecer. Simples assim.

Da mesma forma que você tem que ter uma meta no seu atual emprego, você deve ter metas para construir o seu negócio. Não dá para achar que as coisas vão cair do céu, só porque você tem uma ideia brilhante que vai salvar as baleias ou os homens carecas, ou mesmo porque você é leal ao seu patrão e não mandou ele as favas.

Lembre-se, essas metas devem ser objetivas e conclusivas, de maneira que construam de fato o seu negócio. Veja, continuar não é avançar e conforto não é sinônimo de felicidade.

SEPARE E DEPOIS UNA AS COISAS

Tendo as metas definidas, tanto como empregado, como empreendedor, agora vem a parte mais difícil de todas: conciliar as agendas e a adequar a rotina.

Mas antes… como eu crio uma meta?

COMO CRIAR UMA META?

Antes de mais nada, é necessário deixar clara a diferença entre meta e objetivo.  Em linhas gerais, o objetivo é aquilo que você deseja alcançar – e no contexto desse texto, é ter o seu próprio negócio. Por sua vez, a meta compreende os meios e ações para que se alcance o objetivo. Metas são tarefas específicas para alcançá-los, sendo que elas são temporais, ou seja, estipulam prazos para serem realizadas. Em resumo, a diferença entre objetivo (que é o que você pretende fazer e/ou alcançar) e de metas (que é a especificação desses objetivos quantitativamente) fica claro. O objetivo é o que eu quero ter, e a meta define como alcançar isso.

Não é impossível chegar no seu objetivo sem metas, mas a grande vantagem de se ter metas claras e especificas e saber conscientemente o que funciona e o que não funciona, e com isso traçar melhores estratégias e até propor novas metas. Não ter metas impossibilita esse aprendizado e não dá visibilidade sobre o quão perto se está do objetivo. Porém, tão importante quanto ter metas definidas, bem planejadas e alinhadas com o seu objetivo, é coloca-las em prática. Muitas pessoas evitam ter metas ou não se comprometem realmente com elas por medo de fracassar, mas muitas vezes esse fracasso está diretamente com fato de não ter metas estabelecidas!

Específica

Quanto mais específica for a sua meta melhor. Porque quanto mais clara e definida ela for, mas fácil ela é de ser avaliada, medida e gerenciada.

Quer ganhar dinheiro esse ano?

Quanto especificamente você quer ganhar ao final das 23h59 do dia 31 de dezembro?

Quer fazer uma pós-graduação?

Qual é o curso específico que você quer fazer?

Se for difícil especificar uma meta ou objetivo, divida-a em etapas menores.

Aqui, estamos falando do resultado que se quer obter com cada meta e objetivo.

Perguntas que podem ajudar:

  • “O que exatamente você quer realizar/alcançar/ter?”
  • “Como vai ser quando você atingir seu objetivo?”
  • “Escolha um período de tempo que faz sentido para esta meta, e me diga exatamente o que você quer ter conseguido até então.”
  • “Seja mais específico: qual é o resultado que você quer?”

Mensurável

“O que não é medido não é gerenciado.” – William Edwards Deming

Para ajudar na clareza da meta é necessário que ela seja específica e mensurável. A mensurabilidade, além de proporcionar mais tangibilidade à meta, proporciona a opção de mudar o plano de ação em detrimento do não atingimento de determinadas marcas pré-estipuladas.

Perguntas que podem ajudar:

  • “Como você pode quantificar esse objetivo (colocá-lo em um número)? Quando alcança-lo, podemos afirmar que a meta foi alcançada?”
  • “Você disse que quer uma “vida mais equilibrada”, mas o que seria uma “vida mais equilibrada”? Como é possível medir isso? Como você vai saber que alcançou essa meta?”
  • “Como você pode afirmar que este objetivo é importante e mensurável no progresso em direção a sua meta?”

Alcançável

É importante que o se deseje seja alcançável, real e que seja gerenciável por você. Que dependa de você.

“Ah, mais a minha meta não depende de mim.” Nesse caso, reavalie a meta e veja onde ela depende exclusivamente de você e nesses aspectos estabeleça especificidade, mensurabilidade, relevância e prazo.

Ou mude de meta e escolha uma que dependa 100% dos seus esforços.

Esse item muitas vezes será o responsável por você não desanimar ou desistir da sua meta.

Imagine que você se deu uma meta de ser astronauta aos 32 anos.

Sorry, isso não vai acontecer.

Perguntas que podem ajudar:

  • “Essa meta está dentro das suas capacidades?”
  • “É razoavelmente possível? “
  • “Existem barreiras ou circunstâncias que lhe impedem de alcançar esse objetivo?” “Quais seriam elas?”,“ E que você vai fazer à respeito?”
  • “Será que esse objetivo depende das escolhas de outras pessoas? Como podemos reformulá-lo para que ele dependa apenas de você?”

Relevante

“Quando estamos motivados por metas que têm significados profundos, por sonhos que precisam ser realizados, por puro amor que precisa se expressar, então nós vivemos verdadeiramente a vida.” – Greg Anderson

A meta tem que ser relevante para o que você quer. Não adianta se propor a fazer algo que tem pouca ou nenhuma relevância direta com o que você deseja alcançar.

Perguntas que podem ajudar:

  • “Você se importa o suficiente a respeito desta meta para torná-la uma prioridade?”
  • “Por que isso é importante para você?”
  • “O que você está disposto a deixar de fazer ou cortar da sua rotina para alcançar este objetivo?”
  • “Em uma escala de um a dez, o quão importante é para você a atingir esse objetivo?”

Prazo

Toda meta deve ter um prazo de inicio e um prazo de fim. Exemplo:

Quero mudar de emprego em 6 meses e ainda quero realizar um trabalho voluntário na associação de pessoas carentes do meu bairro, às segundas feiras no horário noturno durante todo o segundo semestre deste ano.

Perguntas que podem ajudar:

  • “Qual é o prazo para que você alcance esta meta?”
  • “Quando você vai começar?”

A criação de boas metas é fundamental para atingir resultados de maneira consciente, e pode gerar dúvidas e muitas reflexões sobre o que fazer primeiro ou mesmo se algo deve ser feito.

COMO CRIAR UMA AGENDA PRODUTIVA

“O ideal é não priorizar a sua agenda e sim agendar as suas prioridades.”- Bárbara Coré

De nada adianta ter um plano de ação se ele não cabe na sua rotina.

Ter metas realistas  é ter visibilidade consciente do que se esta fazendo. É ter consciência de como o caminho do sucesso foi construído e poder repeti-lo sempre que for necessário.

Agora que você tem metas e sabe onde quer chegar, ou pelo menos tem um vaga ideia, chegou a hora de colocar tudo em prática.

É hora de bater as agendas de atividades.

Sim, se você tem metas definidas, você tem ações e tarefas que as compõe e elas devem ter métricas que possibilitem o gerenciamento da sua performance.

Esse tipo de registro, por mais analítico que seja, é extremamente eficiente para sabermos o que deve ser feito, QUANDO deve ser feito e QUANTO leva. Dessa forma, você começa a ter uma estimativa de quanto tempo você GASTA para fazer as coisas e pode gerenciar a sua performance frente ao resultado apresentado, minimizando recursos em detrimento a alta performance e etc.

A ideia aqui não é ser assertivo, mas ter uma ideia base para construir uma agenda que permita saber em qual atividade se deve focar. Pesquisas revelam que o nosso cérebro não é multitarefa, ou seja, não conseguimos fazer mais de uma coisa com a máxima eficiência de que quando fazendo uma só. Logo, se você souber o que fazer, quando fazer, como fazer e para quê fazer, você tem chances de garantir 100% do seu foco nisso E isso pode significar um resultado útil para o que se quer – entenda resultado útil como algo feito no menor tempo possível com a máximo de retorno.

Melhorando a sua performance, você tende a ficar mais produtivo e o seu tempo passa a valer mais. Tanto no seu emprego quando no seu negócio.

Estabeleça prioridades e delegue

Muitas vezes, por mais que você se esforce, o seu negócio não andará para frente se você trabalhar nele após o seu trabalho e ainda contamos com imprevistos que podem bagunçar todo o planejamento. Bem, imprevistos são imprevistos e não dá para prever quando eles vão aparecer ou qual será o tamanho do estrago deles na sua agenda, então a melhor maneira de se lidar com eles é a mais rápida e solucionadora possível. Simples assim.

Agora, como encaixar as tarefas do seu negócio no sua rotina de trabalho? Como conciliar as metas?

A primeira coisa a se fazer é separar as tarefas por prioridades, dentro da escala abaixo:

A – Alto Impacto: Ações e tarefas com consequências altamente positivas para a sua meta e objetivo final.

Quais são as atividades diárias que lhe trazem grandes resultados, que permitem que você avance na direção do que você quer?

B – Médio Impacto: São importantes, mas, se não forem realizadas trarão poucas consequências para a realização dos seus objetivos.

Quais são as tarefas urgentes, mas que possuem pouca influência para a realização do seu objetivo? (Geralmente são tarefas que trazem consequências para outras pessoas)

C – Baixo Impacto: Seria bom, mas tem pouca consequência.

Quais tarefas não possuem importância, não são urgentes e trazem pouca consequência imediata para a realização do seu sonho?

D – Delegáveis

Quais tarefas você poderia delegar para outra pessoa?

E – Elimináveis

Quais tarefas não trazem nada de útil para a sua vida e devem ser eliminadas ou minimizadas da sua rotina diária?

O que você faz que lhe traz conforto, mas que não tem impacto na sua vida e muito menos no seu sonho de vida?

Para algumas pessoas fazer isso será simples, para outras nem tanto. O desafio desta tabela é que muitas atividades listadas serão inúteis. Isso pode de uma meta mal feita, um objetivo fraco, pouco desafiador ou o seu medo em assumir a responsabilidade pelo que você quer, e com isso, inconscientemente, você se sabota estabelecendo metas e tarefas ridículas, que não te levaram a lugar algum.

Você esta se mantendo ocupado e não produtivo.

Talvez você perceba isso tanto nas metas estabelecidas no seu emprego quanto nas do seu próprio negócio. Se isso acontecer, volte e coloque mais desafio, mais vigor, audácia e avidez, pense em metas realmente desafiadoras e estimulantes para você e não em coisinhas pequenas e inúteis.

Um bom medidor de desafio é: pense em algo que, para que você tenha sucesso, você terá que se esforçar tanto, que ao final da jornada, existe a grande probabilidade de você se tornar outra pessoa.

Depois de estabelecer as prioridades das duas agendas é hora de mesclá-las.

Caso você tenha atividades conflitantes, entre tarefas que sejam relacionadas ao próprio negócio e tarefas relacionadas ao seu emprego, dê prioridade a que seja mais importante para a vida que você quer ter.

CONCLUSÕES

Buscar o próprio negócio enquanto se trabalha para outras pessoas é tão desafiador quanto qualquer outra estratégia de empreendedorismo. Não se engane ao achar que a pessoa que escolhe essa estratégia é algum tipo de super-herói ou algo do tipo devido a vida dupla que ela levará até chegar onde quer.

Não dá para fazer um omelete sem quebrar os ovos.

Peopleminin é uma solução multiplataforma de recrutamento e seleção que tem por base o match profissional perfeito, combinando o perfil profissional e comportamental dos candidatos com as vagas existentes no mercado. Em busca do match profissional perfeito!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*

mautic is open source marketing automation